Saturday, October 12, 2013

Contos Breves - Olinda P. Gil

Linked by...
Este livro é um link inicial (a que costumamos chamar por aqui "First Link"). Constitui o primeiro elo de mais uma cadeia de links.

Os "First Links" chegam ao blogue por duas vias distintas: ou por forte sugestão dos nossos seguidores, ou porque o exemplar nos foi oferecido ou ganho (passatempos, concursos, etc).

Neste caso aconteceu uma mistura das duas. A autora do livro, é seguidora do blogue, e solicitou ajuda a diversos "Pre Advanced Readers" para lerem o seu livro antes de ser lançado, e darem a sua opinião. Julguei que este blogue poderia ajudar nessa tarefa, pelo que me propus a lê-lo, e prontamente a autora nos enviou o seu livro. 

Existem outros livros já lidos pelo blogue a aguardar post, mas foi dada prioridade a este título uma vez que o seu lançamento se prevê para o final do mês (a partir de 23 de Outubro).

Linked opinion...
Esta foi uma experiência de leitura bastante agradável, por vários motivos.

O livro reúne 31 contos escritos pela autora entre o final da sua adolescência e o início da idade adulta. A maioria deles escritos para o DN Jovem, com o qual Olinda P. Gil colaborou. Como o título indica, são contos bastante curtos. Este formato foi logo o primeiro motivo de satisfação, pois agradou-me bastante.

Os contos, apesar de "breves" e de linguagem simples, são histórias completas, profundas e incisivas, que deixam ao leitor um trabalho de "digestão" muito interessante. Na maioria das histórias, a "reflexão pós conto" é uma experiência tão agradável ou mais ainda do que a leitura do conto em si mesma.

Claro está, que nem todos os contos me tocaram da mesma forma. Mas esta diversidade que caracteriza o conjunto em termos de estrutura, de temática e de mensagem, constituiu um aspecto interessante e agradável para mim enquanto leitora.

A morte e a sexualidade são temáticas com uma presença bastante assídua, o que se coaduna com a época da vida da autora em que os contos foram escritos. Na minha opinião, pensar a morte é também um esforço necessário para entender a vida. Esse exercício, não é algo muito apelativo para a maioria dos indivíduos, que compreensivelmente, optam por evitar os assuntos potencialmente propiciadores de mal estar. Aqui a autora não foge aos assuntos mais incómodos, antes pelo contrário, e conduz o leitor a confrontar-se com as dúvidas e angústias dos seus personagens. Considero esse aspecto muito positivo. Em relação à temática morte, o único reparo que tenho fazer é que algumas vezes me pareceu que serviu como "Deus Ex" em alguns contos.

As emoções e os sentimentos são uma constante durante toda a leitura. Alguns contos senti-os como bastante enternecedores e comoventes, e outros bastante originais. Existe também uma mensagem em todos eles. Em alguns a mensagem surge de forma mais directa, noutros, o leitor é forçado a aventurar-se na sua descoberta.

O estilo de escrita simples e directo da autora, mas não leviano, é algo que me aproximou ainda mais desta leitura. Julgo que o facto de ser alentejana como a Olinda e ter lido algumas expressões tão características do nosso Alentejo, me levou a uma empatia mais imediata, que ajudou à compreensão dos textos, sem contudo enviesar em demasia a minha perspectiva.

Quanto à classificação a dar a este livro na plataforma Goodreads, tive algum dificuldade devido ao formato do livro, ou seja, por ser composto por contos. Assim decidi fazer o seguinte: pontuar cada um dos contos com o critério Goodreads, e depois utilizar a moda para classsificar o livro. Desta forma,  por ter pontuado maior número de contos com 4 estrelas (really liked it) , o livro ficou com esta classificação final.
Os contos que eu "really liked it" foram os seguintes:
  • "A Vela"
  • "No Dia em que as Espingardas atiraram Flores em vez de Balas"
  • "Agora para mim, afinal o tempo existe"
  • "Como lhe dizer que o amo"
  • "A Rua do Memorial Perdido"
  • "Morreste"
  • "Menina que te Foste Embora"
  • "Sophia"
  • "Numa Pastelaria"
  • "Conto quase Erótico"
  • "Comemoração"
  • "Palestra"

Resumindo, um bom livro, que proporciona momentos agradáveis, quer durante a sua leitura, quer depois na reflexão/discussão que pode proporcionar. Uma autora com talento, a qual espero voltar a ler.

Não quero também deixar passar a ilustração da capa sem uma nota de apreço à ilustradora Cláudia Banza. Como já foi notado em algumas opiniões na Goodreads com as quais concordo, ilustrações no interior do livro poderiam ser uma mais valia preciosa.  

Linked books...

Carmina - Gaio Valério Catulo (mencionado no conto "Menina que te Foste Embora")

Romeu e Julieta - William Shakespeare (mencionado no conto "Clube de Teatro")

Rei Édipo - Sófocles (Édipo foi mencionado no conto "Clube de Teatro". Apesar de Édipo não ser personagem apenas nesta tragédia, julgo que se pode dizer que esta é a peça pela qual ficou mais conhecido)

Filodemo - Luis de Camões (mencionado no conto "Clube de Teatro")

Contos Exemplares - Sophia de Mello Breyner Andersen  . Todo o conto "Sophia" é dedicado a esta autora. Uma vez aqui no blogue não existia ainda nada desta autora, resolvi aproveitar esta referência, para incluir uma das suas obras nas nossas intenções de leitura. Os "Contos Exemplares" pareceram-me adequados, em primeiro lugar por se tratar também um livro de contos (como este) , e em segundo por ser recomendado no Programa de Português para o 3.º Ciclo do Ensino Básico (a autora deste livro, Olinda P. Gil, é professora de português).

Linked places...
Igreja de Nossa Senhora dos Mártires
(mencionada no conto "Na Basílica de Nossa Senhora dos Mártires")
Fernando Pessoa no Largo do Chiado
 (mencionado no conto "Na Basílica de Nossa Senhora dos Mártires")
Linked people...
Safo de Lesbos
(a primeira poetisa, é mencionada no conto "Menina que te foste embora", com a frase "Mas é Catulo. Louco por Lésbia como eu louco por ti."

Sophia de Mello Breyner Andresen
(todo o conto "Sophia" lhe é dedicado)

Gaio Valério Catulo(mencionado no conto "Menina que te foste embora")
Fernando Pessoa
Linked historical events...
Maio de 1968
(mencionado no conto "Agora, para mim, afinal o tempo existe")
25 de Abril de 1974(mencionado no conto "Agora, para mim, afinal o tempo existe" e "No dia em que as espingardas atiraram flores em vez de balas")
Linked music...


 Bach foi mencionado no conto "Interseccionismo" : "Confundo o som de uma sonata de Bach, e já não sei se a tenho a tocar, se é no livro que a tocam". Escolhi este video para representar esta referência.

Linked poetry...

Poesia de Gaio Valério Catulo 
(mencionada no conto "Menina que te foste embora": "Espera-me aquele Catulo feliz, dos “basia mille”)


CARME 5     
POEMA 5
Vivamus, mea Lesbia, atque amemus,
Rumoresque senum severiorum
Omnes occidere aestimemus assis.
Soles occidere et redire possunt:
nobis cum semel occidit brevis lux,
nox est perpetua una dormienda.
da mi basia mille, deinde centum,
dein mille altera, dein secunda centum,
deinde usque altera mille, deinde centum.
dein, cum milia multa fecerimus,
conturbabimus illa, ne sciamus,
aut ne quis malus invidere possit,
cum tantum sciat esse basiorum.
Vivamos, minha Lésbia, e nos amemos.
E aos conselhos dos velhos mais severos
Nem ouvidos a eles nós daremos.
Porque o sol todo dia nasce e morre:
E a nossa luz brevíssima será,
Pois nós apenas uma vez morremos.
Portanto, dá-me mil e mais mil beijos,
Depois, dar-me-hás cem e mais cem mil.
Pois, quantos beijos mais viermos a dar,
Perderemos a conta dos desejos.
Todos, assim, iremos confundir,
Para que ninguém nos possa invejar,
De quantos foram nossos longos beijos.

3 comments:

  1. Oh pá, está tão lindo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Acho que vou fazer um post sobre a tua opinião!

    ReplyDelete
  2. :) Fui sincera apenas...O livro e a autora merecem :)

    ReplyDelete