Monday, May 21, 2012

A Abadia do Pesadelo - Thomas Love Peacock

Linked by...

É a partir do livro "A Alternativa Wilt" de Tom Sharpe, que chego a esta obra. Tratando-se de um título bastante antigo, não foi fácil encontrar um exemplar. Quando já me tinha convencido de que a única forma de conhecer esta obra seria ler o e-book em inglês, encontrei, um pouco por sorte, uma 1ª edição na Frenesi. Não hesitei, pois,  em fazer a encomenda online. Foi com surpresa que ao receber o livro verifiquei que nunca havia sido lido, uma vez que tive de separar as folhas, algo que nunca tinha tido o "prazer" de fazer. Julgando-a uma obra antiga e de leitura talvez densa e pesada, surpreendeu-me ver que fazia parte da colecção "Biblioteca dos Humoristas". Foi assim com enorme curiosidade que comecei a ler este livro.

Nota: Posteriormente à sua leitura, o autor desta obra surgiu indicado também em:


Linked opinion...
Gostei bastante deste livro, tanto da sua história como pela forma como está construído. Melhor ainda que a história, são as suas personagens deliciosas e perfeitamente conseguidas, no sentido da sátira pretendida pelo autor. Thomas Love Peacock satiriza neste livro o Romantismo, e alguns dos autores românticos da época. Apesar de o prefácio, de Jorge de Sena,  ajudar ao entendimento do propósito do autor, não é contudo imprescindível. A história em si evidencia os "ridículos" de cada personagem, e das suas "visões da vida". A tristeza, a melancolia, a misantropia, etc., como única forma de elevação intelectual, e os "males" do amor enquanto necessários a essa tão profunda tristeza, que só o "génio" detém...Enfim, esta é uma das visões. Talvez a mais preponderante, visto ser partilhada pelos dois personagens principais da história. A história e os seus personagens são em si mesmo muito engraçados. Achei também sagazes os nomes atribuídos aos personagens, que os tornam ainda mais hilariantes. De todos, o meu preferido, embora sem grande intervenção na história, foi o Mr. Listless, o cúmulo da preguiça e da inércia, a quem as forças escasseiam para fazer seja o que for. E se não forem as forças, serão os nervos...que ficam num estado tal, que lhe suga toda a energia. Resumindo, achei realmente o livro muito bom, e proporcionou-me para além do riso ocasional, motivo para reflexão sobre a vida e sobre como a entendemos e vivemos.

Linked review... 

“(…) os seus dotes de ensaista e de comediógrafo vão encontrar, de par com os de poeta, a mais original das ocupações nos romances admiráveis de ironia, lucidez, cultura e espírito satírico (…) entre os quais se destaca esta Abadia, e cuja importância, através de um Jorge Meredith, um Norman Douglas, e um Aldous Huxley, não tem cessado de aumentar na literatura inglesa”.
Jorge de Sena 
Linked people...
François Rabelais (1494 - 1553)

Friedrich Schiller (1759 - 1805)
George Berkeley (1685-1753)
Jeremy Taylor (1613-1667)

Linked music...
O compositor Rossini foi mencionado no livro. Aqui a escolha por um trecho de uma das suas mais conhecidas obras "O Barbeiro de Sevilha"

 
 "Nina, o sia la pazza per amore" de Giovanni Paisiello

"Don Giovanni" de Mozart

Linked books...
São várias as obras referidas por este livro. Entre elas:
Erewhon - Samuel Butler
Kubla Khan - Samuel Taylor Coleridge
Stella - Johann Wolfgang Goethe 
O Purgatório - Dante Alighieri
Childe Harold´s Pilgrimage - Lord Byron

Linked places...
Berkeley Square (Londres, Inglaterra). Fotografia de David Wallace.
Lincolnshire (Inglaterra)

Brasenose College, originalmente designado por Brazen Nose College (Oxford, Inglaterra)
West End (Londres, Inglaterra)
Gronelândia
Linked poem...
"The Tempest" by James T. Fields
We were crowded in the cabin;
Not a soul would dare to sleep:
It was midnight on the waters,
And a storm was on the deep.

 ’Tis a fearful thing in winter
To be shattered by the blast,
And to hear the rattling trumpet
Thunder, “Cut away the mast!”

So we shuddered there in silence,
For the stoutest held his breath,
While the hungry sea was roaring,
And the breakers threatened death.

And as thus we sat in darkness,
Each one busy in his prayers,
“We are lost!” the captain shouted,
As he staggered down the stairs.

But his little daughter whispered,
As she took his icy hand,
“Isn’t God upon the ocean,
Just the same as on the land?”

Then we kissed the little maiden,
And we spoke in better cheer;
And we anchored safe in harbor
When the morn was shining clear.
Linked words...
atrabiliário - que ou quem é colérico ou melancólico.
serralho - palácio de sultão, no império otomano; o mesmo que harém.
antitéticos - que encerra antítese; pé métrico inverso do tético. 
facécia - chiste, graça; motejo. 
estíptico - que serve para apertar ou contrair; que tem avareza. = AVARENTO, AVARO, SOMÍTICO, SOVINA.
silfo - génio do ar (na mitologia céltica e germânica da Idade Média).

No comments:

Post a Comment