Tuesday, February 20, 2018

Vasto Mar de Sargaços - Jean Rhys


Linked by... 


Chegamos à leitura deste livro pela mão de Inês Montenegro, uma jovem e promissora autora portuguesa, e do seu excelente conto intitulado "Fragmento".

A ligação surgiu, nao directamente como é costume, ou seja por "Vasto Mar de Sargaços" ou a sua autora Jean Rhys terem sido mencionados no conto de Inês Montenegro, mas de forma diferente. Aconteceu que após o nosso post sobre o "Fragmento", vim a saber, pela sua autora, que a mesma se tinha inspirado num fragmento de "Vasto Mar de Sargaços" de Jean Rhys, para escrever o seu conto. Assim, resolvemos acrescentar esta ligação, considerando-a tão válida como as que usualmente costumamos fazer.

Na sinopse deste livro, "descobri" uma outra ligação muito interessante (ainda por seguir). Nela é dito que este livro "procura reescrever a história da primeira mulher de Edward Fairfax Rochester, «a louca do sótão»". Esta ligação ao clássico incontornável "Jane Eyre" de Charlotte Brontë, apesar de ainda não o ter lido, aumentou a minha curiosidade para a leitura do presente título.

Linked synopsis...


"Perdida entre estranhos numas Antilhas tão fascinantes como opressivas, vítima de diversos infortúnios familiares e minada pela incompreensão e desprezo do marido, Antoinette vai perdendo tudo o que amava, incluindo a segurança necessária para manter o equilíbrio mental... Este extraordinário romance desenvolve-se paralelamente ao clássico gótico de Charlotte Brontë Jane Eyre, e procura reescrever a história da primeira mulher de Edward Fairfaz Rochester, a «louca do sótão». A voz turbulenta de Antoinette, silenciada no romance de Brontë, oferece ao leitor uma possibilidade de compreender as causas dessa loucura que o romance vitoriano se empenhou em manter escondida... "
fonte: goodreads


Linked opinion...


Este livro tem tanto de sombrio quanto tem de belo, e proporcionou-me uma excelente leitura.

Foi para mim uma leitura diferente em vários aspectos, diferença essa que o fez sobressair, e que certamente contribuirá para que este texto perdure na minha memória.

Um das diferenças são os locais onde o mesmo se passa. Não tenho lido muitos textos cuja acção decorra na Jamaica e nas Caraíbas, e esses locais, para mim exóticos, espicaçaram desde cedo o meu interesse. A relevância desses locais no texto, pela forma como a protagonista se relaciona com os mesmos, as tradições, história e culturas inerentes, são sem dúvida uma mais valia. Gostei muito como a personagem principal Antoinette se encontra fortemente enraizada numa cultura que a coloca de parte, numa confusa procura da sua identidade. Mesmo quando a acção passa a decorrer em Inglaterra, local esse mais "conhecido" das minhas leituras, é muito curioso ver como ela vive sente o abismo que a separa das suas origens.

A estrutura do texto também é diferente. Dividido em três partes em que os narradores se vão alternando, faz com que as perspectivas sobre o decorrer da história se completem, e que o leitor consiga apreender uma visão mais abrangente do geral. Em relação a este aspecto, li em várias opiniões que torna a leitura confusa e que provoca dificuldades no seguir da história. Pessoalmente achei esta estrutura perfeita, e se alguma estranheza provoca, está em consonância com o resto do "sentir" do livro, uma vez que essa sensação de estranheza nunca me abandonou durante toda a leitura, e foi ela outro dos pontos fortes que para mim a fez demarcar de outras leituras.

Alguns dos temas abordados também não têm surgido vulgarmente nas minhas leituras. A escravatura é um deles. A relação entre colonizadores europeus e os nativos, bem como a dificuldade de integração dos crioulos, filhos de colonizadores, é aqui retratado em primeira mão, visto a personagem principal ser uma "béké" (crioula de pele branca, descendente dos primeiros colonos da Europa). A busca pela aceitação e pela sua própria identidade decorre neste contexto. A protagonista, enquanto mulher, é vítima também da inferiorização do seu género, mais um aspecto que concorre para a sua triste história.

Assistimos pois à história desta protagonista, uma mulher desenraízada, oprimida, perdida de si mesmo e de tudo o que lhe era querido, vítima de diversos infortúnios e forçada num casamento também ele falhado,  ser conduzida à loucura. A loucura, que para mim constituiu o tema principal desta narrativa é tratado de uma forma estranha mas em minha opinião bem conseguida, à medida que acompanhamos esta mulher neste seu percurso trágico e destrutivo, nesta espiral de acontecimentos onde ela acaba eventualmente por se perder completamente.

Em suma um livro que considero muito bom, e que apesar de já me ter apercebido que esta opinião é tudo menos consensual, não hesito em recomendá-lo.

Quanto ao facto deste livro ter como intenção ser uma prequela a Jane Eyre de Charlotte Brontë (como diz na sinopse, "procura reescrever a história da primeira mulher de Edward Fairfax Rochester, «a louca do sótão»") nada posso dizer uma vez que é uma leitura ainda por realizar. Talvez quando chegar à leitura desse título, entenda a ligação.


um livro muito bom, cuja leitura recomendo


Linked opinion by others...


Linked books...


Bom dia, Meia Noite - Jean Rhys (livro mencionado na nota biográfica da autora - "outras obras da autora", conjuntamente com o livro "Viagem no Escuro")

Confessions of an English Opium Eater - Thomas de Quincey

Jane Eyre - Charlotte Brontë (obra mencionada na sinopse do livro, onde é dito que "procura reescrever a história da primeira mulher de Edwars Fairfax Rochester, «a louca do sótão»)

O Talismã - Walter Scott (foram mencionados os "romances de Walter Scott. Neste blogue, do autor, já lemos:
pelo que nos decidimos por este título para representar essa referência - O Talismã - por ser uma "nova" leitura, que já se encontra na nossa lista de livros a serem lidos).

Selected Poems - Lord Byron (foram mencionados "os poemas de Byron" pelo que este foi o título escolhido para representar essa referência ao autor e seus poemas)

Viagem no Escuro - Jean Rhys (livro mencionado na nota biográfica da autora - "outras obras da autora", conjuntamente com o livro "Bom Dia, Meia Noite")


Linked poem...


A autora referiu-se no texto a este poema citando-o ("Rose elle a vécu"):

                    Consolation à M. Du Périer
                    de François de Malherbe 

Ta douleur, du Périer, sera donc éternelle,
Et les tristes discours
Que te met en l'esprit l'amitié paternelle
L'augmenteront toujours 

Le malheur de ta fille au tombeau descendue
Par un commun trépas,
Est-ce quelque dédale, où ta raison perdue
Ne se retrouve pas ?

Je sais de quels appas son enfance était pleine,
Et n'ai pas entrepris,
Injurieux ami, de soulager ta peine
Avecque son mépris.

Mais elle était du monde, où les plus belles choses
Ont le pire destin ;
Et rose elle a vécu ce que vivent les roses,
L'espace d'un matin.

Puis quand ainsi serait, que selon ta prière,
Elle aurait obtenu
D'avoir en cheveux blancs terminé sa carrière,
Qu'en fût-il advenu?

Penses-tu que, plus vieille, en la maison céleste
Elle eût eu plus d'accueil ?
Ou qu'elle eût moins senti la poussière funeste
Et les vers du cercueil ?

Non, non, mon du Périer, aussitôt que la Parque
Ote l'âme du corps,
L'âge s'évanouit au deçà de la barque,
Et ne suit point les morts...

La Mort a des rigueurs à nulle autre pareilles ;
On a beau la prier,
La cruelle qu'elle est se bouche les oreilles,
Et nous laisse crier.

Le pauvre en sa cabane, où le chaume le couvre,
Est sujet à ses lois ;
Et la garde qui veille aux barrières du Louvre
N'en défend point nos rois.

De murmurer contre elle, et perdre patience,
Il est mal à propos ;
Vouloir ce que Dieu veut, est la seule science
Qui nous met en repos.

Linked songs...




Linked places...


Martinica

Spanish Town
(Jamaica)

Linked flowers, plants and trees...


Frangipani

Orquídeas

Fer-de-Lance
Lacraia
Jack Spaniard

Linked historical events...


Batalha de Saints

Linked architecture...


Ajoupa


Linked art...



The Miller´s Daughter from Tennyson, by John Alfred Vinter


Linked religious celebrations...



Domingo de Ramos


Linked cults and religions...



Vodu do Haiti
Obeah

Linked looked up words...


anágua (despiu a anágua branca) - [vestuário] peça de roupa interior, espécie de saia curta, que se veste por baixo de vestidos ou saias.
béké - nas Antilhas Francesas, um béké é um residente crioulo de pele branca, da Martinica e Guadalupe, descendente dos primeiros colonos da Europa.
despaisada - estar fora do seu elemento, romper ou mudar hábitos, estar desorientada.
encilhar - apertar com cilha; arrear (a cavalgadura); [Brasil] iludir, enganar.
malva (cor) - [botânica] planta tipo da família das malváceas ; cor arroxeada da flor dessa planta.
palafreneiro - moço que tratava do palafrém ou que o acompanhava; moço que trata de cavalos.
perfunctória - que dura pouco; que é pouco importante ou pouco aprofundado; que se faz só por dizer que se fez, e não por necessidade ou com algum fim útil.
piche (preta como piche) - espécie de alcatrão.